O STF segue sua campanha de irritar à população

Por unanimidade, STF aprova projeto de reajuste de 18% para salários de juízes e servidores, com teto de R$ 46,3 mil

Nós estamos vendo esse aumento indefensável do Supremo Tribunal Federal nesse momento de sacrifício, e sofrimento da sociedade, o STF seguindo na sua Impacia e prepotência a campanha de irritar, afrontar, e escarnecer a população brasileira.

Inconsciente esta é uma ação que o STF faz para tornar o 7 de setembro um evento ainda maior, como todos sabem apesar dessa imprensa militante, parcial e falida, dizendo que é atos antidemocráticos, mas apesar disso, sabemos que a população tem saído às ruas do Brasil com grande capacidade de mobilização, com consciência da sua força clamando por liberdade.

O que marca essa ampla mobilização que em parte é um protesto contra as ações do Supremo! Justamente é essa ação abusiva do STF.

É uma corte que tem mergulhado no seu delírio de grandeza, se coloca como um poder moderador que fala do semipresidencialista de Portugal, que interfere nos outros poderes, que falam em desgoverno atacando o presidente da república, entre outros. Eles perderam qualquer inibição se é que já tiveram.

A sociedade brasileira está irritada, ofendida, agredida com todos esses comportamentos lamentáveis da corte e seus magistrados.

A cartinha dos esquerdistas

A Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP)divulgou, na terça-feira (26), um manifesto em defesa da democracia e do sistema eleitoral brasileiro. Com 800 mil assinaturas até o momento, o documento reúne apoio de importantes juristas, empresários, artistas e de demais representantes da sociedade civil.

Entre os assinantes, estão mais de 130 entidades, ex-ministros, milhares de magistrados, membros do MP e artistas. Políticos de todas as ideologias e locais (entre eles os candidatos à presidência Ciro, Lula e Simone), em uma suposta preocupação pra manter o Estado de Direito, também assinam a carta.

Carta aos Brasileiros, lida no pátio das Arcadas em 8 de agosto de 1977

Lançada com repercussão nacional e internacional em 8 de agosto de 1977, em leitura nas Arcadas do Largo de São Francisco, da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP), obteve a adesão de dezenas de juristas e catedráticos como José Ignácio Botelho de Mesquita, Fábio Konder Comparato, Modesto Carvalhosa, Irineu Strenger, Dalmo de Abreu Dallari e Miguel Reale Júnior, além desembargadores e intelectuais como Antônio Cândido de Mello e Souza e Dom Cândido Padim, Bispo de Bauru.

Em conversa com apoiadores no cercadinho do Palácio da Alvorada, Jair Bolsonaro voltou a criticar a nova versão da“Carta aos Brasileiros”,encabeçada por integrantes da faculdade de direito da USP.

“Esse manifesto aí foi assinado por banqueiros, artistas. Tem mais uma classe aí. E alguns empresários mamíferos”, disse Jair Bolsonaro.

Nossa democracia cresceu e amadureceu, mas muito ainda há de ser feito. Vivemos em um País de profundas desigualdades sociais, com carências em serviços públicos essenciais, como saúde, educação, habitação e segurança pública. Temos muito a caminhar no desenvolvimento das nossas potencialidades econômicas de forma sustentável. E não ficar perdendo tempo com uma cartinha que se diz defender a democracia mas na entrelinhas visa desgastar a imagem do presidente Jair Bolsonaro.

Direita e esquerda

Direita e Esquerda

O par de opostos Direita e Esquerda suscitou e ainda suscita os principais debates ideológicos e políticos contemporâneos.

Assembleia Nacional Constituinte, 1789
Karl Marx
Edmund Burke

Desde o turbulento evento denominado Revolução Francesa (1789-1815), o qual, de acordo com alguns historiadores, inaugurou a Idade Contemporânea, os conceitos de direitaesquerda fazem-se presentes nos debates políticos e ideológicos, sobretudo no mundo ocidental. Neste texto, procuraremos explicitar a relação desses conceitos com a ambiência revolucionária da França, bem como a identificação que um e outro passaram a ter, a posteriori, com as posições políticas conservadoras e/ou liberais (direita) e progressistas e/ou revolucionárias.

Origem dos termos Direita e Esquerda

Na Assembleia Nacional Constituinte, girondinos
sentavam-se à direita, e jacobinos, à esquerda.

Durante o processo revolucionário começado em 1789, na França, os girondinos, considerados mais moderados e conciliadores, ocupavam o lado direito da Assembleia Nacional Constituinte, enquanto os jacobinos, mais radicais e exaltados, ocupavam o lado esquerdo. Essa é a origem da nomenclatura política que categoriza os posicionamentos políticos no interior dos sistemas políticos contemporâneos.

Essa polarização tem suscitado inúmeros problemas e demasiadas polêmicas, sobretudo porque, a partir do século XIX, houve uma radicalização ideológica tanto de um lado quanto do outro. O desenvolvimento das ideias de autores considerados de direita, como DonosoCortez e Charles Maurras, bem como o daqueles considerados de esquerda, como KarlMarx Bakunin, entre outros, estimulou gerações de intelectuais, movimentos políticos e ativistas que levaram às últimas consequências a crença em sua ideologia.

Em geral, ambos os segmentos ideológicos, seja de direita, seja de esquerda, quando chegam à sua forma extrema, desenvolvem perspectivas idealizadoras com vistas à “transformação do mundo”. Essa perspectiva utópica tem seus fundamentos, tanto na direita quanto na esquerda, na secularização das expectativas apocalípticas cristãs, que, no sentido original, tinham por meta aguardar a segunda vinda de Cristo e o juízo final. Com o advento do mundo moderno, tais expectativas transferiram-se para o domínio terreno e, grosso modo, para a ação política e seu principal agente de transformação, o Estado.

Leia também: O nazismo era de esquerda ou de direita?

Diferenças entre Esquerda e Direita

As ideias de Karl Marx são
a base teórica para os progressitas.

Os ideólogos de esquerda pretendem aperfeiçoar o mundo por meio de políticas que instaurem a justiça social, ou o igualitarismo, ou a socialização dos meios de produção econômica, ou qualquer outra ação que remeta à ideia de igualdade. Já os ideólogos de direita pretendem perfectibilizar o mundo a partir de uma perspectiva idealizada do passado e da tradição, de valores nacionais ou religiosos. Cada qual dos lados, em diversos momentos da história (sobretudo no século XX), empenhou-se até a barbárie para fazer valer sua visão ideológica de mundo.

Essa divisão, contudo, pode limitar a compreensão de perspectivas mais complexas sobre a política. Geralmente, a alcunha “direitista” é aplicada sem muita acuidade crítica ao pensamento conservador. Do mesmo modo, a alcunha de “esquerdista” é aplicada às reflexões e propostas progressistas. As ideias de Edmund Burke são bastante
influentes entre os conservadores.

Conservadores e progressistas, não raro, associam-se com liberais. É o caso, por exemplo, de quem defende ideias progressistas, como o aborto, políticas de cotas etc., mas defende a liberdade econômica, isto é, livre mercado, livre concorrência etc.; ou, ao contrário, quem defende política antiaborto, política contra as cotas e contra programas sociais fomentados pelo Estado, mas também se ajusta, igualmente, à prática do liberalismo econômico. Do ponto de vista político e ideológico, progressistas e conservadores divergem, mas concordam, por vezes, quanto à economia. Vê-se, então, que o problema é mais complexo do que se imagina.

As raízes do pensamento conservador e progressista remontam ao século XVIII, especificamente às figuras de Edmund Burke e Jean-Jacques Rousseau, respectivamente. O primeiro é uma das principais fontes do pensamento conservador contemporâneo, e o segundo, do pensamento progressista, que se bifurca em liberais moderados, reformistas e revolucionários.

Crédito a Cláudio Fernandes

Política mentindo

otos duplicatas de multidão apoiadora, passeatas “turbinadas com efeito digital” e tantas outras malandragens: veremos muito disso na campanha eleitoral à Presidência.

Um exemplo disso foi a de Lula e os apoiadores na Bahia. Mas sabemos que não é só ele que faz isso…

Político “pode mentir” numa boa, não?

Bolsonaro na 9º cúpula da América e as fake news em Volta

BOLSONARO NOS ESTADOS UNIDOS E AS FAKE NEWS

Nesse ano de 2022, está previsto para acontecer no Brasil as eleições presidenciais. Deste modo, todos os partidos de esquerda e direita se preparam para o grande acontecimento. 

Cada candidato é monitorado ao extremo, o ir e vir, torna um motivo de observação e espionagem. Nesse mesmo ano, o atual presidente do Brasil, Jair Messias Bolsonaro, foi aos Estados Unidos para pleitear um convite da 9º cúpula dos EUA. No entanto, essa viagem teve várias interpretações por parte de seus opositores, que incitaram algumas sugestões e o fato viralizou nas redes sociais, várias fake News foram lançadas informando que o presidente havia ido pedir ajuda aos Estados Unidos para que pudesse vencer as atuais eleições.

Para quem não sabe o que é Fake News, ou que conhece pouco sobre o tema, a fake News consiste em ser um boato que causa a desinformação das pessoas e com isso traz prejuízos muitas vezes irreversíveis, é uma prática muito comum na política e por isso, as pessoas devem ser bem orientadas sobre o que devem ler e como podem confirmar as informações que acessam nas redes sociais e em toda a internet pois podem está sendo manipulados e enganadas devido a essa prática que causadesinformação.

Conforme Amaral (2020) O Dicionário Online de Português define “fake news” como “notícias falsas; quaisquer notícias e informações falsas ou mentirosas que são compartilhadas como se fossem reais e verdadeiras, divulgadas em contextos virtuais, especialmente em redes sociais ou em aplicativos para compartilhamento de mensagens”. Na sua tradução livre, “fake news” significa “notícia falsa”, uma “mentira”, por isso, no Brasil, foiestipulada algumas leis para impor limites a esses boatos, desse modo, o autor de propagações falsas e mentirosas deverá pagar judicialmente por seus atos sendo condenado por espalhar boatos e informações falsas.

Esclarecendo os verdadeiros motivos que levaram Bolsonaro aos EUA, os relatos, indicam verdadeiramente a participação dele na 9º Cúpula dos EUA, esse evento reúne vários países e não somente o Brasil. Além disso, ao investigar os temas abordados, as afirmações garantem que estavam voltados as mudanças climáticas, uma questão que tem sido motivo de preocupação da Organização das Nações Unidas ONU a alguns anos enesse evento promovido pelos EUA, Joe Biden o atual presidente dos EUA, apela aos países presentes uma possível ajuda ao Brasil com a finalidade de conservaçãoe proteção das reservas florestais da Amazônia, segundo ele, “um tema importante e significante para todos os países, pois preservar a Amazônia é obrigação de todos os países” afirmou Joe Biden.

Nessas condições, pode-se perceber como uma fake News, pode tornar um assunto tão importante para o Brasil, em algo irrelevante, gerando a desinformação. Com isso, os brasileiros não focariam nos benefícios alcançados para a Amazônia, mais no fato do presidente está viajando em beneficio próprio para pedir supostas ajudas, e isso está sendo provado como notícias falsas e boatos.

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

Crie seu site com o WordPress.com
Comece agora